in útero

Titulo : in útero-Ano 2013 -65 x 50

Remexo-me
Nas minhas próprias entranhas
Inquieta
Perdi o valoroso dom
De não buscar
De não me interrogar.
(Alguma vez o tive?)
Estico um braço
Neste espaço exíguo
Testo a resistência
Desta película
Acredito poder quebrá-la.
Dúvida,
Resta uma:
Será meu destino sair
Ou o teu entrar?

Poema de Isa Lisboa
http://instantaneospretobranco.blogspot.pt/2013/11/in-utero.html




2 comentários:

  1. Como se nota pelo poema, adorei esta tua tela. É mesmo muito intensa, parece realmente querer agarrar-me e puxar-me, ao mesmo tempo que parece querer sair!
    Parabéns, Carlos!

    ResponderExcluir

quero comentários !!